Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘tinta’

Já postei aqui fotos com diversas versões de listras na parede. Agora publico um PAP com as que fiz no meu futuro quarto e no escritório.

  • Primeiro defina a posição das listras (horizontal ou vertical). Depois, as cores e a largura;
  • As faixas/cores devem ser intercaladas com fita crepe (usei de 2 cm e de 5 cm);
  • Meça as faixas em cada extremidade da parede com régua e marque com lápis;
  • Cole a fita crepe e alise bem, para colar por igual e não entrar tinta nas bordas (e mesmo assim ainda acontece);

  • Pinte as faixas com rolinho simples de espuma. Evite os pincéis (por experiência própria, eles formam riscos difíceis de cobrir com outras demãos);

  • Dê duas ou três demãos (vai depender da cor/cobertura), aguarde a secagem e remova a fita crepe.

Gostou das core? Então anota:

Listras lilázes – (quarto) – todas da Coral: Malva Prateada (mais clara), Paz Noturna (média) e Reflexo de Ametista (mais escura).

Listras coloridas (escritório) – o vermelho/vinho eu ganhei um restinho de tinta, só sei que é da Suvinil; Verde Kiwi (Coral); goiaba (vermelho + branco); azul (pigmento Xadrez + branco); lilás claro (Malva Prateada – Coral); Laranja Imperial (Coral), cinza (Véu, Coral); lilás médio (Paz Noturna – Coral) e lilás escuro (Reflexo de Ametista – Coral).

Lembrando que o pigmento Xadrez permite criar várias cores e tonalidades diferentes no latéx branco e é bem baratinho.

Anúncios

Read Full Post »

Lixa + pincel + tinta = um móvel novo. Em pouco tempo – e sem gastar muito – é possível dar cara nova  e novo uso ao objeto antigo e que, muitas vezes, seria descartado.

Pode ser que para recuperar o móvel seja necessário improvisar um tampo para a mesa destruída (como placa de laminado), trocar o estofado de cadeiras ou mesmo colocar novos puxadores. Mas vale tudo, principalmente quando é um móvel de estimação que está feinho.

O passo a passo da mesinha está na edição de fevereiro/2010 da revista Minha Casa.

Cabeceira de cama antiga virou quadro

Cabeceira antiga ganhou novo uso no hall: pendurar bolsas

 

Read Full Post »

Amanhã é feriado, que tal aproveitar o tempo livre para pintar a casa, colorir sua vida?

Anime-se! Algumas pinceladas de tinta podem fazer uma diferença e tanto, gastando pouco… #ficaadica.

Read Full Post »

Palavras podem fazer parte da decoração de diversas maneiras, como em papéis de parede, pinturas e adesivos.

A primeira opção acaba de ganhar uma versão divertida: o caça-palavras, desenvolvido pela marca Mr. Perswall. As letras aleatórias acabam formando nomes de cidades ao redor do mundo (vi na Casa e Jardim).

As letras aleatórias formam nomes de cidades

Jornais também podem ser transformados em papéis de parede. Na técnica da foto abaixo, edições japonesas (caderno de cultura, por conta das ilustrações) foram aplicadas no lavabo por um instalador de papel de parede. O revestimento não ganhou verniz, para manter a cor original, mas é preciso cuidado para não molhar.

Notícias do japão estampam a parede

E se aquela música preferida pudesse estampar um canto especial da sua casa? Na foto abaixo, o morador pediu que arquitetas escrevessem na parede a letra da música amanheceu, de Jorge Vercilo, que primeiro foi riscada à lapis e, depois, coberta por tinta. Encontrei no livro 150 Ideias de  Decoração de Casa Cláudia (volume II), que já citei aqui.

Na parede, letra da música Amanheceu, de Jorge Vercilo

Nesta outra ideia, uma frase adesiva colada de trás para a frente se transforma numa charada que pode ser lida por um espelho de 2 m de altura no hall de entrada. Na imagem é possível ler The word exist to convert itself into images (o mundo existe para se converter em imagens).

A charada na parede pode ser lida pelo espelho

O verso preferido também pode estampar as paredes. Nesta escada, trecho do livro “As cidades invisíveis”, de Ítalo Calvino ‘…nos corrimãos das escadas, nas antenas dos pára-raios, nos mastros das bandeiras, cada segmento riscado por arranhões…’

Read Full Post »

Listras largas e em cores suaves enfeitam a cabeçeira

Acho uma graça paredes listradas. No meu quarto já tem um lugar reservado para elas onde, a princípio, foi feito um rebaixo no reboco para o encaixe da cabeceira da cama (igual na foto acima). Isto antes da mudança de planos, da possibilidade de inclusão do closet, e a cama acabou tendo que mudar de parede.

Simples de fazer, não requer muita prática nem habilidade. Tá bom vai, talvez um pouquinho…

  • Primeiro é preciso definir a largura das listras com uma régua, marcando a parede com um lápis, por exemplo;
  • Elas podem ser de tamanhos regulares ou uma mescla de listras grossas e finas, verticais ou horizontais, de cores neutras, tom sobre tom ou mais vibrantes, vai do gosto do freguês;
  • Depois, é só aplicar fita crepe para proteger a parte que não receberá tinta (ah, a parede já deve estar previamente pintada de branco, por exemplo);
  • Com um rolinho é só preencher os espaços com as cores escolhidas;
  • Só depois que a tinta secar completamente as fitas crepe podem ser removidas.

Sem inspiração para a escolha das cores? Dá uma olhada nos encartes  “Efeito das cores” que a Suvinil preparou para a revista Casa Cláudia com dicas de combinações entre cores e objetos. Os aquivos são em PDF e dá pra imprimir!

A Coral também lançou o “Ideia Card”, sete guias de combinação de cores (vermelhos, laranjas, amarelos, verdes, azuis, violetas e neutros). Eu tenho uma pastinha fofa com os encarte da Coral, recebi em casa, pelo correio (já faz um bom tempo). Não sei se eles ainda enviam, mas já cheguei a ver folders em lojas de tintas.

Horizontais e verticais na mesma parede

Listras verticais e horizontais na mesma parede

As listras mais finas são da largura da fita crepe

Como detalhe no corredor

Na horizontal, multicoloridas e de várias larguras

Par destacar o balcão que separa a cozinha da sala de estar

Colorindo o quarto do bebê

Como pintura de fundo entre as prateleiras

Read Full Post »