Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘construção’ Category

Sim, eu voltei depois de longos meses ausente. Muitas coisas aconteceram neste período (emprego novo, mudança de casa, adaptação em ambos…), mas prometo que voltarei a atualizar o blog.

A primeiríssima coisa e que eu já devia há muito tempo são as fotos do balcão de vidro que divide a minha cozinha e a sala de jantar. É um dos posts mais visitados e procurado aqui no blog. Quem ainda não tinha visto como a parede foi construída vai lá, mas volta para ver as fotos:

O balcão, a pia e a ilha receberam granito preto São Gabriel. E ai, gostaram?

Anúncios

Read Full Post »

Folheando a revista da Leroy Merlin de maio me deparei com este projeto do  arquiteto Gustavo Calazans, de uma cozinha integrada à sala de jantar. Vários detalhes me chamaram a atenção neste ambiente:

  • No lugar de uma mesa de refeições convencional, o arquiteto optou pela construção de uma bancada de concreto, que recebeu revestimento de azulejos de 10 cm x 10 cm (lindos por sinal). A bancada ficou apoiada na coluna que sobrou, depois da demolição da antiga parede;
  • Como já é tendência, apenas a parede que abriga a pia recebeu revestimento branco, mais prático e econômico;
  • Elementos vazados – como os cobogós – de 19 cm x 19 cm x 7 cm, instalados acima da janela aumentam a circulação de ar e a entrada de luz natural (só tenho dúvidas em relação à entrada de insetos…);
  • Nichos de alvenaria (30 cm x 15 cm x 15 cm) revestidos de azulejos amarelos  (retrô solar, da Eliane, 10 cm x 10 cm)  fazem a vez dos armários e servem de apoio para temperos, potes de mantimentos e utensílios. A  mesma parede, pintada de azul acizentado (tinta fosca Metalatex, código SW6228 Sherwin Willians), conferiu um colorido especial ao ambiente e permite trocar a cor vez ou outra;
  • E por falar em armários, seis cubos abertos (28 cm x 28 cm x 20 cm), instalados acima do gabinete da pia abrigam as louças;
  • Em vez de coifa ou depurador, o arquiteto instalou um exaustor de parede, daqueles do estilo antigo;
  • Outra pia foi instalada na ponta da mesa de alvenaria, o que facilita muito o trabalho na cozinha, enquato a pia principal está ocupada ou com louça;
  • Dois pendentes estilo Chapéu Chinês iluminam a mesa de alvenaria;
  • O fogão amarelo é um charme, assim como a adega de madeira para 12 garrafas;
  • E que graça as xícaras penduradas! Estão sempre à mão…

Agora, se você está construindo ou reformando, fique de olho na estratégia usada pela maioria dos arquitetos: se você investir em revestimentos mais caros em algum ponto do projeto (como é o caso dos azulejos decorados da mesa de alvenaria), tente economizar nos outros itens, como a cerâmica branca que reveste só as áreas “molhadas”. As demais paredes podem receber apenas  pintura e você ainda pode mudar a cor sempre que desejar.

Read Full Post »

Sempre gostei do efeito visual das paredes de blocos de vidro e queria ter uma em casa. Ela foi construída essa semana e servirá de balcão, dividindo a cozinha e a sala de jantar.

Para quem não sabe (eu não sabia, rs), existe uma argamassa específica para assentar blocos de vidro. Aqui usamos a da Fortaleza (foto) e entre cada fileira de bloco (vertical e horizontal), o pedreiro colocou uma barra de ferro de 3/16″, formando uma tela, para aumentar a sustentação.

Agora só falta o tampo de mármore. Gostaram?

Read Full Post »

Volto ao assunto madeira de demolição (que já falei uma vez aqui), com ideias de como reaproveitar o que, aparentemente, não serve mais.

Depois de lixadas e cortadas, as madeiras usadas podem dar nova vida a móveis, janelas, guarnições e muito mais. Vejamos alguns exemplos:

  • Bancadas de banheiros e lavabos

O lavabo da minha casa vai ser assim...

  • Bancos e mesas

  • Aparadores

  • Molduras de espelhos

  • Portas e pergolados

  • Painéis e estantes


  • Revestimento de escadas:

  • E inúmeras outras ideias

Garrafeiro em madeira de demolição

Prateleiras suspensas

 

Read Full Post »

Plugue e tomada de três pinos

O padrão brasileiro para tomadas e plugues mudou. O novo formato tem um rebaixo de quase 1 cm, é sextavado (foto) e com três contatos (pinos redondos).

O terceiro deles é o condutor-terra, que impede choques elétricos.  Já a área mais funda serve como barreira, principalmente para crianças, evitando o contato acidental dos dedos no polo do plugue.

A partir deste ano, refrigeradores, lavadoras e micro-ondas não terão mais aquele fio verde que vinha na parte de trás dos aparelhos (o fio terra). Os aparelhos já sairão da fábrica com o terceiro pino no plugue.

Por conta disso, todo mundo terá que mudar as tomadas de casa? A resposta é NÃO!

Explico: a Lei 11.337, de 26 de julho de 2006, determina que todas as novas edificações tenham o aterramento da rede elétrica. Como as casas mais antigas não possuem, de nada vai adiantar apenas mudar as tomadas se elas não terão a nova  instalação. Além disso, apenas 20% dos aparelhos necessitam da proteção do fio terra. O restante continuará com dois pinos.  Para plugues de três polos, será preciso apenas usar adaptadores, sempre certificados pelo Inmetro.

Logo que o projeto elétrico da minha casa começou a ser pensado, comprei as caixas de tomadas, de interruptores e espelhos para a casa toda e, só depois disso foi que o padrão mudou.  Mas, como todas elas já têm a conexão com três pinos redondos mais o espaço para os quadradinhos ou “achatados” (só não possuem o rebaixo das tomadas novas), não vou precisar trocá-las.

Confira o material do Inmetro sobre o novo Padrão Brasileiro de Plugues e Tomadas.

Caso você compre um eletrodoméstico novo da Brastemp, por exemplo, e ainda venha com o plugue antigo,  a empresa faz a troca do cordão antigo pelo novo modelo.

Read Full Post »

Porcellanato Super Bianco Natural e Polido da Gyotoku na Casa Cor 2009

Estou comprando pisos e revestimentos para a minha casa, inicialmente para os banheiros e para o lavabo. São horas dentro das lojas olhando e elegendo os favoritos. Na sexta-feira (8) fui visitar o show room da Gyotoku (na fábrica, em Suzano – SP) para ter mais ideias. Fui muito bem atendida e ainda ouvi várias dicas sobre os porcelanatos e as cerâmicas retificadas:

  • O primeiro possui três tipos de acabamento: o natural, o polido (brilhante, vitrificado), e o acetinado (fosco e muito agradável ao toque);
  • O polido apresenta superfície plana e porosa, devido ao processo de polimento.  Apesar da baixa absorção de água (< 0,1%), o acabamento do material faz com que peças fiquem mais vulneráveis às manchas (de sucos, refrigerantes, produtos de limpeza, gordura etc.), principalmente os pisos de cor branca. Quem tem criança como eu, melhor escolher outra opção ou poderá decepcionar-se no futuro. Eles também são mais fáceis de riscar e mais escorregadios;
  • Uma das vantagens deste material é que elepode ser aplicado tanto em paredes quanto no piso, mas precisa de uma argamassa específica (e mais cara) para ser assentado;
  • O porcelanato é assentado com junta seca – quando uma peça é instalada bem próxima da outra, quase sem espaço para o rejunte, o que dá efeito de placa única;
  • Já as cerâmicas retificadas deferenciam-se das comuns devido ao acabamento completamente liso e reto, com dimensões precisas em todas as peças. O assentamento é semelhante ao porcelanato e, geralmente, o custo é menor;
  • Segundo a consultora da Gyotoku, as cerâmicas retificadas são ótimas opções para revestir cozinhas, também por conta da junta seca, que não permitirá o acúmulo de sujeira. Além disso, é uma área quase que totalmente coberta por armários, o que não exige muitos detalhes no revestimento, já que o destaque ficará mesmo por conta dos móveis e eletrodomésticos.

Desde já o porcelanato é a minha escolha para revestir os pisos de toda a casa (exceto o dos quartos, onde usarei laminado). As placas imitam cimento, pedras, madeira, metal e tecido. É um acabamento mais lindo do que o outro e, realmente, um desafio na hora da compra, mas falarei disso em outro post.

Fica a dica: sempre é possível escolher materiais semelhantes e também de boa qualidade, mas sem pagar muito caro por isso. O segredo é pesquisar, andar de loja em loja, comparar preços, materiais, qualidade e custos de instalação (como argamassa e mão-de-obra).

Read Full Post »